segunda-feira, setembro 19, 2016

Mon genre de flic

Renoir, Candice Renoir. Estado Civil: a divorciar-se. Idade: casa dos 40. 4 filhos: 2 adolescentes e um par de gémeos a caminho da adolescência. Profissão: comandante da Polícia. É a minha nova heroína. 
Encontrei a série num zapping ocasional nas férias, por sorte, logo o primeiro episódio., mas entretanto descobri que já era uma reposição. Assim que regressei do descanso merecido peguei no comando da box e vi os episódios em falta. Depois dia após dia fui acompanhando as aventuras, investigações, peripécias e vida desta comandante. A "minha Candice", como lhe passei a chamar, esteve afastada do mundo laboral 10 anos e durante esse tempo foi a mãe a tempo inteiro e acompanhou o marido por vários países. Ele sim avançou com a sua vida profissional. Quando o casamento acabou, Candice teve que, literalmente, "fazer-se à vida" e regressou à sua profissão. Estes regressos não são fáceis e num mundo em que a tecnologia avança a passos mais que largos todos os dias estar dois afastado pode ser o caos logo imaginem 10 anos. Depois há ainda os colegas novos que não são recetivos à chegada de uma nova chefia que não conhecem de lado algum e para quem olham com má cara questionando de forma irritante, é o papel deles, todas as suas atitudes, observações, questºoes e decisões. Então mas em que é que a "tua Candice" difere das outras mulhes policias e investigadoras das outras milhentas séries que dão nos diferentes canais de tv? Ora, é divertida, simpática, prática, mãe carinhosa e preocupada (ainda que, às vezes, destrambelhada), mas a grande vantagem é a forma como aplica nas suas investigações o sentido comum do dia a dia e como chega à conclusão dos casos aplicando o conhecimento diário de uma forma genial e inesperada. Além disso, é francesa e eu começo a ficar mais que farta de tanta série americana. Confesso! Deu na rtp 2 a primeira temporada inteirinha e agora sei lá quanto tempo demorará a chegar a segunda temporada. Sei que em França já transmitiram três temporadas e que cinco milhões de franceses assistiram às aventuras e desventuras da "minha Candice".
Ahhhhh é verdade e tem um vizinho que... upa... upa... É um regalo para os olhos, para os meus, vá, que para ela é muito mais que para os olhos.
Agora resta-me aguardar o regresso da minha flic preferida dos últimos tempos. Fá-lo-ei pacientemente... muito pacientemente, mas senhores da rtp, por favor, façam qualquer coisa rapidamente.

Saudações (investigadoras) virtuais





Mais info aqui

domingo, setembro 18, 2016

Blue's nails for this week #1

Vaidosa, até à última casa, que sou, pois que sou, adoro pintar "asunhas" e mudar de cor muitas vezes. Daí não poder aderir ao gel e afins pois que se torna complicado mudar de cor quase diariamente como faço por vezes. Não faltam cá por casa tons de azul para abrilhantar as extremidades dos dedos, mas esta semana a escolha foi para algo bem diferente.
 essie 67 - meet me at sunset

andreia professional - endurecedor 

Saudações virtuais

quarta-feira, setembro 14, 2016

Swimming

O regresso foi hoje. Nem de propósito foi uma boa escolha. Sem querer escolhi um dia bom. Não saber o futuro, por vezes, tem vantagens. Se eu soubesse como o dia ia acabar não teria tido grande vontade de me levantar de manhã. Muito menos uma hora mais cedo que o normal para poder ir nadar antes de ir para o estaminé dar o litro em esforço mental e físico. Como faço todos os dias. Uma pista inteira só para mim. Nadar à minha vontade, aquilo que me apetece. Com a cabeça longe dos pensamentos diários. Das preocupações, Das arrelias. Das tarefas. Das obrigações. Ali só eu e a água. Cada braçada um momento de relaxe. De descontração. De puro e total prazer. Este ano o regresso foi animado com equipamento novo. Andava com o mesmo desde há 3 anos. Mas este ano qual gaiata pequena fui à Decathlon e comprei tudo novo: fato-de-banho, touca e óculos. Em virtude da enorme perda de peso foi mesmo necessário comprar um fato novo, porque o outro estava enorme e sobrava licra por todos os lados e mais algum. Além disso, é um modelo normal que o outro era daqueles cuja parte de baixo é tipo de calções. Desta feita não preciso de nada disso. A touca e os óculos foram um bónus que dei a mim própria, porque mereço. Oras. E foi muita bom voltar e esta semana fá-lo-ei de novo. Porque este sim é o meu canto do desporto. Não é cá walking ou running. É swimming.
O meu percurso na natação começou quando tinha dez anos. E nadei muito, muito. Até aos 17 foi sempre a melhorar até chegar às classes de pré-competição do clube cá da terra. O único que havia e que ainda há. Eram treinos intensos. Muito. De manhã e ao fim do dia. Cheguei a nadar em pleno mês de outubro às 7 da manhã numa piscina descoberta em água fria. Cá na terra, à altura, não havia piscina aquecida (agora já há!). E era tão bom. Pelo convívio. Pelo treino. Pelo companheirismo que tínhamos. Mas o clube era pequeno e quando os senhores que ocupavam as cadeiras do poder perceberam que quem ia para as competições ia andar pelo país depressa substituíram os atletas preparados pelos seus próprios filhos podendo assim famílias inteiras viajar às custas do clube. e lá se foi assim a minha carreira olímpica. Enfim... O que importa é que ficou este bichinho maravilha pelo desporto que mais me atrai, me faz bem, me dispõe bem, me faz mexer e ainda por cima é fresquinho porque é dentro de água. Hoje às 8 da manhã iniciou-se uma nova fase isso foi o mais importante de todo o dia. As más notícias que chegaram no final da jornada serão superadas e tudo correrá pelo melhor. Há ter esperança e fé. E trabalhar, muito, porque sem isso não há nada para ninguém. E agora vou dormir que o dia vai longo e os músculos estão a pedir descanso. Bastante!
Saudações virtuais (aquáticas)

quarta-feira, agosto 10, 2016

Coisas qu'ouço #3

@supermercado

Moça ao telefone (25/26 anos): Ele disse que não sabe se vai fazer autópsia. Diz que ele é muito novo e que não precisa de passar por isso agora.

Silêncio de quem ouve o interlocutor.

Moça ao telefone (25/26 anos): O veterinário disse que é preferível dar-lhe uma injeção e esperar para ver o efeito e se ele melhora.

Mais silêncio.

Moça ao telefone (25/26 anos): A autópsia agora não é necessária. Ele é muito novo e não precisa de submeter-se à autópsia. É preferível a injeção.

E lá continuou nisto.

__________________________

Pensamento da Blue: Eu, que de bichos não percebo absolutamente nada de nada, diria que ele, aparentemente, é muito vivo para ser submetido à autópsia. Dêem, "mazé", a injeção ao bicho.

Saudações virtuais


terça-feira, agosto 09, 2016

Sugestões da Blue - Bem comer

Numa noite muito quente de Agosto e em plena cidade de Lisboa procurávamos um sítio para jantar. Sábado: tudo mais que cheio. Sítios chiques, sítios in, tascas típicas, restaurantes da moda; enfim, uma vasta escolha, mas tudo ou com um ar muito quente lá dentro ou demasiado cheio e com longas filas de espera. Até que em plena rua de São Paulo encontrámos a Casa Vintage. Não estava cheio e tinha uma ementa que nos agradou à leitura. Decidimos entrar. O anfitrião ofereceu-nos logo um aperitivo e enquanto nos encaminhava para uma mesa foi-nos dizendo que traria o dito aperitivo até nós. E assim foi. Seguiu-se a escolha do repasto e devo dizer que não foi fácil até porque além do que líamos tivémos oportunidade de ver passar verdadeiras iguarias à nossa frente que eram colocadas noutras mesas, o que tornou a escolha mais difícil. Mas depois de algum debate gastronómico lá nos decidimos e fizémos o pedido. Pelos nomes, soou-nos, também, a cozinha tradicional portuguesa revisitada. E, de facto, era verdade pelo que os nossos olhos iam comendo. 
Com esta coisa de ter feito a operação, hoje em dia, como muito menos e, por arrastamento, a família segue os meus passos logo entradas nem pedimos. Contudo fomos brindados com uma salada grega com uma apresentação diferente e muito, muito saborosa. Ahhh, e com rúcula, que não comi, porque não aprecio. Depois chegaram os maravilhosos repastos que estavam deliciosos não só à vista como ao palato. À vista podeis apreciar pelas fotos abaixo e quanto ao palato visitem o local que não se vão arrepender. É fresco, simpático e agradável.
Uma palavra de apreço para o serviço, cordialidade e atenção dos empregados. 
Sem dúvida um local a re-visitar!






 Sobremesa
 Bolsinha, em cortiça, onde vinha a conta
 Deixem-nos um comentário...

... e nós deixámos.


Saudações virtuais

sexta-feira, agosto 05, 2016

Parabéns, Avô João!

Hoje comemoraríamos mais um aniversário. O Teu. Não sei quantos e nem isso interessa para este dia. Seria dia de festa. Da boa. Da grande. Daquelas que só na nossa família se sabem fazer. Mimadas! Alegres! Cheias de animação e boa disposição! E, claro, com muito boa comida. As maravilhas confecionadas pela Avó e os doces da minha mãe e da minha tia. E quiçá, a minha mãe não faria um fantástico arroz-doce brindado com um belo desenho a canela, daquelas obras de arte que ainda hoje nos fascinam e para as quais ela tem tanta habilidade. Era só pedir, lembraste? Heidis, Pedros, Vickings, Abelhas-Maias era à vontade da criançada. E ainda hoje é à vontade de quem pede. :-) Ahhh e devo dizer-te que te sairam umas netas, eu incluída, e um neto que também se safam muito bem nas artes culinárias. A mesa seria ainda mais farta. Seria possível? Seria! Se calhar teríamos jantar hoje e pic-nic amanhã, como era quase sempre. Aniversário do Avô era sinal de picnicar no campo ou na praia. Era conforme os nossos apetites. E eram. e são, muitos apetites que ainda somos muitos. Este ano podia ser praia? Está tanto calor. :-)
Hoje dou-te os parabéns de cada vez que olhar para o céu (e não só), seja de dia ou de noite. Porque sei que estás a olhar por mim, por nós. Acordei contigo no pensamento e levei um enorme choque quando percebi que já lá vão 25 anos sem a tua presença física e eu ainda não me habituei à falta dela. Nunca me vou habituar, ambos sabemos. Tens mais um neto, já tem 20 anos - é um homem -, e 5 bisnetas lindas e maravilhosas. Só nascem miúdas nesta nova geração e de uma beleza, simpatia e educação da qual te orgulharias, concerteza! São a tua continuidade. Tenho tantas saudades tuas, Avô João. Temos todos que eu sei...

Eric Clapton - Tears in Heaven

Saudações virtuais



Repost

"sábado, maio 13, 2006