sábado, março 10, 2007

Glamour e uma família

Uma semana, dois filmes.Fui ver o Dreamgirls. Se não gostam de musicais nem vale a pena sequer comprarem o bilhete. Gostei do filme, das canções e das interpeetações, mas achei que houve cantoria a mais. Ou seja, duas ou três canções eram perfeitamente dispensáveis e podiam ter sido transformadas em diálogos normais. A história é simples: a criação, ascensão e final de carreira de uma girlsband nos anos 60, do século XX. Os bastidores do mundo da música e os meandros menos correctos com que se atingem os objectivos pretendidos, nesta área, apresentados neste filme revelam um mundo de desencanto e sem brilho. Ao contrário de diversos momentos recheados de glamour, brilho, cor e luz durante as actuações da banda. Muito bem entregue o Óscar de Melhor Actriz Secundária a Jennifer Hudson, grande vozeirão tem esta mulher (a prova de quem nem todos os concursos de talento eliminam os concorrentes certos). Não há dúvida de que este filme é um grande espectáculo musical com todos os ingredientes hollywoodescos certos e no lugar correcto.


Emoção e comédia Um avó toxicodependente. Um pai vendedor de cursos de auto-ajuda. Um filho que faz um voto de silêncio para entrar no Exército. Um tio homossexual especialista em Proust. Uma mãe de família. Uma filha cujo objectivo é participar num concurso de beleza infantil. Eis as personagens de Little Miss Sunshine (Uma Família à Beira de Um Ataque de Nervos, em português). Todos fazem uma viagem, numa carrinha velha e acabada, para que a pequena Olive atinja o seu objectivo. O stress do dia-a-dia faz de nós pessoas extremamente nervosas que aparentemente parecem não estar atentas aos problemas familiares. Mas quem gosta de verdade conhece bem aqueles que estão mais paerto e é isso mesmo que se pode verificar neste filme. Emoções, humor, alegrias, tristezas e cuidado co os mais próximos são as principais características desta película. Uma história simples, bem contada de uma família comum que mostra como ser humano, quando quer, tem qualidades boas e extraordinárias. Fabuloso!!! Óscar de Melhor Actor Secundário e Óscar de Melhor Argumento Original, sem dúvida, bem atribuídos. É impossível sair indisposto do cinema depois deste filme. Eu sai a sorrir por todos os poros e até senti os olhos a brilharem. Uma das grandes máximas desta narrativa: "Perdedores são aqueles que nem chegam a tentar. Vencedores são os que fazem sem medos e destemidamente!"

Dois filmes distintos e sem qualquer ligação a qualquer nível. Duas boas histórias muito bem interpretadas. Confesso que gostei mais do segundo!

Saudações virtuais

Fichas Técnicas

Dreamgirls

Título original: Dreamgirls

De: Bill Condon

Com: Jamie Foxx, Beyoncé Knowles, Eddie Murphy

Género: Dra, Mus

Classificacao: M/12

Estúdios: DreamWorks SKG, Paramount PicturesEUA, 2006, Cores, 131 min.

argumento

Inspirado no musical da Brodway homónimo, "Dreamgirls" é a história da ascensão de um trio: Effie (Jennifer Hudson), Deena (Beyonce Knowles) e Lorrell (Anika Noni Rose). As Dreamettes são descobertas, no início dos anos 60, num concurso de talentos local por Curtis Taylor Jr. (Jamie Foxx), um manager ambicioso que tenta impor-se no mundo da música. Curtis propõe-lhes serem o coro do lendário cantor James "Thunder" Early (Eddie Murphy), mas aos poucos começa a dar-lhes a oportunidade de brilharem a solo, como The Dreams. Mas Curtis sabe que o sucesso vai residir não na magnífica voz soul de Effie, mas na beleza e estilo de Deena e começa a puxá-la para a ribalta. Quando as cortinas se abrem e as Dreams começam a cantar, as três sabem que atingiram o sucesso com que sempre sonharam, mas que o mesmo pode ter um preço e um peso demasiado difícil de suportar emocionalmente.

PUBLICO.PT

Uma Familia à Beira de Um Ataque de Nervos

Título original: Little Miss Sunshine

De: Valerie Faris, Jonathan Dayton

Com: Abigail Breslin, Greg Kinnear, Paul Dano

Género: Com

Classificacao: M/12 EUA, 2006, Cores, 101 min.

argumento

Nenhum dos Hoover é normal, mas não é por não se esforçarem. O pai Richard é um orador, que dá palestras sobre motivação e é profundamente optimista. Tem um programa de "9 passos para o sucesso", mas ele próprio não parece conseguir cumpri-lo. A mãe, Sheryl, é constantemente perseguida pelos segredos excêntricos da sua família - em especial os do seu irmão, um professor gay suicida que acabou de sair do hospital. Os jovens Hoover alimentam também os seus estranhos sonhos: Olive, com sete anos, sonha ser rainha de beleza, e Dwayne fez um voto de silêncio, que tenciona cumprir até entrar na Academia da Força Aérea. Quanto ao avô, é um hedonista que foi expulso do lar onde vivia por consumir drogas. Os Hoover podem não ser uma família normal, mas acabam por se unir numa viagem estrada fora para levar Olive à Califórnia, para participar no concurso "Little Miss Sunshine"...

PUBLICO.PT


4 comentários:

Beguinha disse...

Sempre atenta ao grande ecrã, vou assistir ao segundo, que tanto me recomendaste, no meu pequeno ecrã.

BlueAngel disse...

beguinha,

espero que brilhe tanto no teu pequeno ecrã como brilho no grande onde vi.

Empregado de balcão disse...

Concordo contigo no Dreamgils. Menos 2 ou 3 canções e estava prefeito.

BlueAngel disse...

empregado de balcão,

:-) tenho uma análise muito crítica e objecttiva. Qualquer dia estou a escrever no "Expresso", basta que a Rita Ferro Rodrigues me cite na coluna dela como fizeram os senhores da VISÃO. lol Mas olha, aconselho-te vivamente o segundo filme.