sexta-feira, novembro 09, 2007

Mariza @ Pavilhão Atlântico

Cheguei a casa há minutos de mais uma noite memorável. De mais um espectáculo inesquecível. A voz, a presença, a simpatia, o dançar, a delicadeza, a forma como soletra cada sílaba: Ah, fadista de corpo e alma. Toda ela vibra, sente e encanta com a sua forma de estar. Arrepiei-me, emocionei-me, chorei, ri e acima de tudo assisti a um concerto extraordinário com a presença de grandes nomes, convidados de Mariza.

Gostei de todos os amigos da fadista que passaram pelo palco, mas há três que não posso deixar de assinalar individualmente: o grande e fantástico Rui Veloso que como sempre me deixou emocionada e feliz; o Sr Carlos do Carmo que cantou dois clássicos do fado sobre a minha Lisboa que eu amo e Ivan Lins, o fabuloso autor e intérprete brasileiro que conheço desde sempre.

Depois, bem depois há os pequenos momentos aos quais só quem lá esteve teve o privilégio de assistir, como, por exemplo, a forma como Mariza anunciou que não ganhou o Grammy e como homenageou todos quantos a foram ver com uma magnífica interpretação do clássico "Oh Gente da Minha Terra". E há ainda os meus momentos, aqueles que vivi com maior intensidade, porque há canções ou apenas simples frases de poemas que me fazem sentir na pele e na alma as melhores e piores sensações. Em suma foi outro grande momento da minha vida e a prova de que escolhi maravilhosamente bem o tema para um dos trabalhos que tenho de fazer: Mariza. Foi uma noite brutal e extremamente positiva!!!

Saudações virtuais

Onde é que o Rui Veloso terá arranjado aquele trabalho? Então não é que o moço foi até ao palco com duas canadianas (muletas e não senhoras naturais do Canadá) e a coxear até ao centro? Tanta revista cor-de-rosa e nenhuma ainda falou nesta tragédia. Sinceramente... sempre mudavam de temática, porque a história da menina inglesa ainda vai no adro, infelizmente.

6 comentários:

Undisclosed Recipient disse...

Adorei o post em geral, mas fizeste-me cuspir com a piada das canadianas. Imaginei o sr. Veloso a subir ao palco apoiado em duas mulas que diziam "aboot" e "oot" em vez de "about" e "out"... esquece, eu vejo muito South Park... ;)

Diário de um Anjo disse...

Eu adoro fado e tenho muita pena de não ter podido ir ver a Marisa. Ela não ganhou o grammy mas já conquistou o coração dos portugueses e isso é que importa!

Anónimo disse...

Fico contente por ter ido ao concerto, pois eu não fui por duas razões: monetárias e porque detesto o P.A. Que porcaria de acústica! É um insulto aos artistas e ao público. Mas ouvir essa menina a cantar é mesmo de arrepiar.
Permita-me uma correcção: coxear.

BlueAngel disse...

karvela maria,

se queres cuspir ou tens vontade de o fazer fá-lo no teu blog sim? Ora bolas, vir cuspir para o blog dos outros, tal não está hum? Obrigada pelo elogio. :-)

diário de um anjo,

ela não precisa do Grammy para mostrar o valor que tem!!! :-)

anónimo,

é sempre estranho responder a estes comentários sem nome, mas cá vai: tem toda a razão na apreciação que faz sobre o Pav. Atlântico. No entanto, há espectáculos que só passam por lá e faz-se o sacrifício e vai-se. Obrigada pela chamada de atenção, sempre que olhei para a palavra estranhei-a e nunca a entranhei. :-) Volte sempre!!!

Beguinha disse...

A Mariza é uma das grandes estrelas de Portugal. Gosto dela desde q surgiu: diferente, arrojada, especial! Mas, surpresa após surpresa, ela tem-se tornado uma parte de mim, uma companhia, uma espécie de regaço.

BlueAngel disse...

beguinha,

é isso mesmo, muitas vezes é ela um dos meus pilares e um um forte Porto de Abrigo.