segunda-feira, julho 14, 2008

Às minhas duas Princesas!!!

Irrita-me quando me faltam as palavras, fico furiosa quando não sei o que dizer. Por vezes tudo parece tão fácil e, de repente, num abrir e fechar de olhos está a complicação à nossa frente. Hoje particularmente, zanguei-me comigo, porque não soube explicar à minha princesa mais pequena o quão curto o espaço de um ano pode ser enquanto ela chovia e soluçava à minha frente. Faz bem de vez em quando, foi o que lhe disse e deixe-a estar. Com oito anos, a expressão 1 ano transforma-se em 365 dias num ápice e, apesar de ser a mesma coisa, aquilo a que mais se assemelha é a uma eternidade. Mas é verdade Princesa, um ano passa a correr e, de repente, amanhã, num amanhã muito próximo, o pai já cá estará outra vez para tu o melgares e para irem juntos ao cinema e fazerem as coisas que fazem juntos, ainda que seja nada e só estar ali a olhar para o que já foi ou para o que vai ser. E depois fiquei orgulhosa pela forma como deixaste passar a tua raiva com a vida, enquanto eu me roía com a minha, e foste pé ante pé, para ao pé de mim e da mana jogar àqueles jogos em que se vestem meninas e meninos ("bem jeitoso", disseste de um deles) com roupas super fashion e tudo muito no tom. E aquela noiva que era eu??? Magra e tudo (disseste-lo tu), a titi de noiva??? Nem em sonhos, mas gostei muito.

Da minha Princesa maior tenho um orgulho que não tem como ser medido. Na hora em que poderia estar mais sensível, na altura em que o ambiente estava mais tenso manteve uma serenidade e uma calma fabulosos. Não guardes tudo para ti e sabes que podes sempre contar com a madrinha para o que quiseres. :-) Sem falar e num silêncio tranquilo calou-se, jogou, conversou e preocupou-se com a mana que exibia a sua raiva com o mundo sem pudores. Aos 11 anos (feitos há apenas uma semana) revelou-se uma mulherzinha de armas quando largou o seu posto nos jogos (deixando-o para a mana) e disse: "Madrinha, sabes o que deixava a mãe mesmo muito feliz quando regressasse? Termos as mochilas prontas e tudo arranjado para amanhã!" E, as duas, com algumas colaborações da Princesa mais nova fizémos tudo e preparámos a manhã de amanhã como se fosse a mãe a fazê-lo. Eu seguia as instruções e quando a mãe chegou estava tudo prontissímo. A minha Princesa mais velha parecia a mãe (de quem sou amiga há quase 30 anos e cujos hábitos conheço muito bem) e em tudo o que fazia ou dizia se via o toque de quem tão bem a ensinou. Tomou as rédeas da noite e no meio de tudo divertimo-nos as três e a noite passou demasiado rapidamente para tudo o que depois queríamos fazer.

Às minhas Princesas não posso dizer muito mais do que adoro-vos e tenho muito orgulho em ser vossa amiga e de vos sentir minhas amigas. E, prometo (e eu cumpro sempre, como sabem), este ano vai passar num ápice que eu vou ajudar e muito a isso mesmo. Beijocas larocas minhas lindas do coração!

Saudações virtuais aos meus restantes leitores

3 comentários:

Elora disse...

Mana,
Compreendo tão bem a tua princesa mais nova... Por vezes temos mais 30 anos e mesmo uma semana parece uma eternidade!

BlueAngel disse...

elora,

mana, mas com mais 30 anos a nossa compreensão é diferente mesmo que a contrariemos de todas as formas e feitios. E, sim, sei bem do que falas. Lembra-te que já tive muitos sábados e entre eles sempre uma semana inteira. :-)

Sonya disse...

Ter uma semana é mau, mas ter 52 semanas sem alguém de quem gostamos muito é muito mau... e se com 30 nos custa com 10 ainda nos custa mais... e eu sei que a minha tia linda e azulinha vai fazer tudo para atenuar essa lacuna!
jinhosss