terça-feira, fevereiro 03, 2009

O Lido

Um dos meus primeiros cinemas: O Lido. A minha primeira Discoteca a sério: O Lido. Provavelmente, o primeiro centro comercial da Amadora: O Lido. Quanto e quantos filmes lá vi com família e amigos. Quantas e quantas tardes dancei e sorri nas matinés da Danceteria. Foi a primeira discoteca onde fui à noite, que grande aventura foi essa. :-) Quantas compras foram feitas naquelas lojas. Memórias que o tempo não apaga, mas que o abandono já criava uma melancolia triste e, às vezes, penosa. Não consegui ver as imagens na TV, aproximei-me do aparelho e senti-me vazia. Não é possível que um local onde houve tanta alegria e onde passei alguns dos melhores momentos da minha infância e da minha adolescência tenha um final tão trágico e cruel. Há pedaços da minha vida naqueles escombros assim como havia nos escombros do Chiado. Há acontecimentos que nos esvaziam a alma, este é um deles. Raios, raios, raios...

foto daqui

Saudações virtuais

1 comentário:

scorpiowoman disse...

O primeiro e último cinema a que me lembro de ir com o meu pai, e só com ele, para ver um filme "a sério". Ainda me lembro do livro de banda desenhada oferecida antes do filme (Ivanhoe, dos Clássicos Biblioteca RTP), das gomas oferecidas com um sorriso enorme (e de eu encolher o "não gosto", para não tirar aquele raro sorriso da face do meu pai), das escadas que pareciam não ter fim...
Foi há muitos, muitos anos mesmo (mais de 20...), mas ainda me lembro da satisfação do meu pai em levar-me ao Lido e do sabor amargo com que acordei, hoje, ao som das notícias no rádio...
Restam as memórias de travo agridoce...
Inté***