sábado, setembro 26, 2009

Eu voto, sempre!!!


Ainda me lembro do dia em que orgulhosamente me dirigi à junta de freguesia, da área onde vivo, para fazer o meu Cartão de Eleitora. Das coisas que mais quis sempre foi ir votar, pela importância que sabia e sei que o acto em si tem.

Lembro-me também das primeiras eleições livres e em democracia que ocorreram em Portugal. Os meus pais levaram-me com eles e lembro-me da emoção de também querer votar e da decepção de não poder. Por isso, no ano em que completei os famosos 18 anos fiquei felicíssima devido ao facto de haver um recenseamento eleitoral extra e precisamente no meu mês de aniversário. Tinha 17 anos quando me recenseei e recordo o orgulho com que o fiz ciente da importância que isso implicava. Presente na minha memória estão também as campanhas da Comissão Nacional de Eleições (CNE) das quais retenho até hoje o slogan "VOTAR é um DIREITO, um DEVER CIVÍCO". E é apenas isto que faço sempre: exerço um direito e cumpro um dever. Esta é a única forma de reclamar (ou não) com a realidade com que nos deparamos diariamente. Esta é a única forma que os não-governantes têm de manifestar aos governantes o seu apreço (ou não) pelas suas políticas e pelas suas acções. As acções ficam com quem as pratica, diz o povo, e se depois os governantes não cumprirem então fica com a consciência deles. Claro que também sofremos as consequências das não-acções deles, das suas mentiras e das suas falsas promessas. Contufo fizémos o que estava ao nosso alcance quando colocámos a cruzinha (ou não) no boletim de voto. e esta é a única forma que temos para demonstrar o nosso contentamento ou descontentamento com as políticas que nos rodeiam. importa cumprimos com o nosso DEVER e e exercer o nosso direito de voto. E é por isso que voto sempre, sempre com a mesma consciência de que estou a fazer o que posso e o que está ao meu alcance para que o meu país evolua e cresça. Se depois não acontece isso é outra história, mas eu não vim aqui discutir política e programas partidários. Só vim defender o acto de votar e dizer que o achon importante e fundamental numa democracia. Não me interessa em quem votem, desde que saiam de casa e o façam conscientes de que estão a fazê-lo. A abstenção não é nada e por quem se abstem não tenho o minímo de respeito e não revejo qualquer autoridade para depois reclamarem do que está mal. Acho é que quem se abstem deveria ter também a coragem de dizer não aos benefícios conquistados por quem votou, porque quando as coisas nos caem no prato de mão beijada não têm o mesmo sabor e não nada, mas nada justo.

Para este fim-de-semana o que eu quero mesmo é três coisas:

- que o Glorioso SLB arrecade mais uma vitória;

- que a Abstenção perca e

- que o concerto dos Xutos hoje, no Restelo, seja fabulástico e extraordinário!!!

Saudações virtuais


4 comentários:

Gi disse...

Estou contigo na prossecução dos 3 objectivos. ;)

maria disse...

Ora bem, de profundis e sem papas na língua. Boa Zulinha!!!
Amanhã é o dia!!! :-))
Bjokas

Beguinha disse...

Acho incrível que as pessoas se sintam no direito de criticar e, depois, no momento certo, no local certo, se calem... ou sejam fiquem em casa e não vão votar.

Eu hoje já votei. E sinto-me de dever cumprido.

SaboneteDeGlicerina disse...

BlueAngel, passei pelo teu Monólogos&Diálogos, li algumas coisas na diagonal e já detectei 2pontos em comum :)
O vídeo "À minha maneira" (a minha música favorita dos Xutos) e a tua referência a Tê/Veloso como a dupla nacional preferida. O GRANDE Rui Veloso é desde sempre o meu artista favorito...**