terça-feira, janeiro 25, 2011

Mãe Coragem e os seus filhos, de Bertolt Brecht, no CCB

Sinto-me uma privilegiada, porque, nos idos de 1987, tive o prazer de ver este mesmo texto numa encenação clássica com a Srª Dª Eunice Muñoz como protagonista, ainda nos seus tempos aúreos e ainda sem auricular. Nessa altura o elenco era de luxo e a inesquecível filha "construída" pela Irene Cruz é, de facto, uma memória única. Há 24 anos assisti à peça no Teatro Nacional D. Maria II, mas a estreia tinha sido em 1986 no Teatro Aberto.

Ontem revi o texto e a peça numa encenação completamente diferente: mais moderna, com recurso a audiovisuais e com um cenário mais minimalista. Confesso que não é a minha onda, sou muito clássica nestas coisas. Gosto de teatro clássico (apesar de ver algumas coisas mais arrojadas, porque faço experiências e, na maioria das vezes, não gosto), adoro ballet clássico (não suporto dança contemporânea; Olga Roriz??? Poupem-me, sim? Agradeço!) e sou uma apreciadora de ópera com encenações clássicas e poucas inovações (sim, sei do que falo e poupem-me também). Isto tudo para dizer que ontem gostei da peça, mas não achei a encenação extraordinária e, em algumas partes, foi mesmo incompreensível a decisão do encenador, João Garcia Miguel; como eu gostava de falar com ele para tentar perceber algumas opções. O Teatro devia dar-nos esta opção: no final uma conversa sobre a peça com os actores, seria uma experiência ainda mais enriquecedora. Quanto às interpretações tenho que destacar a protagonista: Custódia Gallego; gosto do trabalho desta senhora e já não é a primeira vez que a vejo sobre as tábuas do palco. Muito bem, como sempre; não desilude. Os restantes actores também estão muito bem.

Aconselho o espectáculo a todos, porque vale sempre a pena ir ao teatro. Até ao próximo dia 30 passem pelo CCB e vejam esta peça; as informações estão todas aqui.

Para se contextualizarem no texto nada como ler a sinopse das palavras escritas por Brecht nos tempos da Segunda Guerra Mundial.

Saudações virtuais

1 comentário:

João Garcia Miguel disse...

OLÁ

Sou o encenador da peça e se quiser falar comigo pode fazê-lo na minha página de facebook ou através do meu mail garcia@joaogarciamiguel.com
obrigado pelas suas palavras
JGM