domingo, fevereiro 15, 2009

Sopa de Letras ou Caldeirada

P e A namoravam, mas A, apesar de gostar de P, amava T. Este dizia a todas que as amava, mas não amava nenhuma, apenas as usava. Aqui entra M, mais uma das muitas, que cai na conversa de T e acaba por aceitar casar com ele. O casamento acontece e T revela-se (ainda mais!): rodeia-se das outras em detrimento daquela que o ama e com quem decidiu construir uma vida a dois. A fica tristíssima e encontra em P o consolo de que precisa. Apercebendo-se de tudo, P tenta manter o seu grande amor com ele. O casamento de T e M não resulta e A acha que poderá ter hipóteses. Na esperança de se fazer notada, A termina a sua relação com P e estreita os laços de amizade com T. Este, que sendo esperto não é burro, aproveita a vantagem de ter uma pessoa que o idolatra e lhe faz as vontades todas, or perto e inicia aquilo que parece ser uma relação séria; contudo não despreza nunca as outras todas que vai amando, entretanto.

X, Y, Z, W, S, R, enfim... outras letras, achavam que T não tinha coragem para sair do armário e assumir a sua verdadeira sexualidade, mas isso são caracteres de outras sopas (ou peixes de outras caldeiradas).

E portanto, a vida avança para todos: P continua com M, mas larga tudo se A não ficar direita na linha de uma página; T permanece com A que o ama incondicionalmente, apesar de saber que, dificilmente, muito dificilmente terá reciprocidade.

N é amiga de todos e passou a espectadora, porque depois de muito ouvir e de tentar aconselhar foi considerada persona non grata. Continua amiga de todos, mas as outras letras deixaram de lhe falar porque não ouviram o que queriam. As letras não podem estar sempre de acordo e isso não deveria implicar relações de amizade entre elas.

Notas finais: Este texto é uma obra de ficção e fruto da minha mui grande e larga imaginação. Qualquer semelhança com pessoas, situações ou acções reais (e até mesmo irreais) é pura coincidência. Da mais pura possível.

Saudações virtuais


7 comentários:

Sonya disse...

Hum... tia, lembraste-te de enveredar pelas novelas mexicanas? E no Gui??? hehe!
Esse T parece um que eu cá conheço, querendo ter todas por perto...mas obviamente que não é ele. hehe
Agora a sério. É estupido a N ser colocada por fora quando apenas deu a sua opinião. Nem sempre temos que dizer aquilo que os outros querem ouvir e quem nos rodeia tem de perceber isso.
Cada vez me convenço mais que os amigos só servem pás borgas e para nos dizerem aquilo que queremos ouvir. Se falham em alguma destas permissas são excluidos...descartados.

Bjokas grandes

Aggio Piaggio disse...

J começa a gostar de S e tem uma afinidade especial com A. Quando A sai do armário transforma-se numa bela Z. Para além disto, J dá-se bem com toda a gente, especialmente com B, W, E e I, e gosta de assistir, assaz incólume, a toda a caldeirada - prato que ele, aliás, aprecia bastante - que se desenrola à sua volta. Não o incomodam as desavenças com S e T, os amuos de A, os arrufos de E.
Tudo isso são coisas da vida, inevitáveis portanto. E dos Morangos com Açúcar.

euseiquetusabesqueeuseiquetusabesquemsou disse...

o E e o I foram passear e ficaram fora das histórias, um dos M´s enrolou-se com o O e deixaram de ser vistos, o W foi fazer compras com o B, e o S casou-se com o C, o que só prova que até, mesmo as letras apesar de não se enfiarem forçosamente na malga com as outras letras todas, costumam andar pelo menos em pares para fazerem algum sentido...
P.S.-Isto também é fruto de muita imaginação claro. por falar em fruto da imaginação, bora a seguir falar em fruta.

Sonya disse...

S está casada com C, adora toda a gente e não tenciona ficar com mais ninguém. Vamos lá por os pontos nos is! ;)

Aggio Piaggio disse...

A I não está casada com ninguém. Quanto à S, pois que é linda e está bem casada, e ainda bem que adora toda a gente. Bom, tenho algumas dúvidas quanto ao T. F de Fim.

Elora disse...

Opá eu só me lembro do duplo Y da Tieta do Agreste...

LBG disse...

Não percebi nada mas adorei este post. Beijinhos...