quinta-feira, novembro 11, 2010

Até sempre, Senhor do Adeus

Via-o na maioria das vezes no Restelo e muito poucas no Saldanha, porque ando por lá menos; li uma vez uma entrevista, no Expresso, com ele onde revelava que já tinha tido tudo e tudo tinha perdido menos a alegria e a vontade de sorrir e fazer sorrir. Tinha sempre um sorriso e um aceno para quem passava, ilustres desconhecidos a quem tratava sempre com simpatia e educação. Acenei-lhe e buzinei-lhe sempre e dizia a quem ia comigo para fazer o mesmo.

Até sempre, Senhor do Adeus. Descanse em Paz e um sorriso. :-)

Vale a pena ouvir isto!!!

Saudações virtuais

1 comentário:

Beguinha disse...

Também passava mais por ele no Restelo. Dizia sempre adeus e tenho pena de não ter explicado bem ao Tiago que aquele senhor respondia a quem acenava. Incrível como lições como esta que relatas de perder tudo menos o sorriso fazem tanto sentido mas me tornam tão pequenina perante tamanha força de vontade.