sábado, março 03, 2012

Dos filhos únicos #1

Por motivos de saúde, há uns anos uma amiga teve de colocar o pai num lar e em conversa confessava-me:
- Não sei se é a decisão certa. Mas sou sozinha; não tenho ninguém a quem perguntar portanto...
Felizmente, tudo correu bem. Mas nem sempre sabemos se a decisão é a certa... nem sempre... Não temos ninguém a quem perguntar, é isso mesmo...
Saudações virtuais

NB: Para os leitores mais dramáticos: Está tudo bem; isto são apenas desabafos, 'tá? :-)

5 comentários:

Rabbit disse...

Oh deixa lá eu tenho irmão e se um dia tiver de tomar uma decisão do género será como se fosse única...

BlueAngel disse...

Rabbit,

pois isso é que considero ainda mais grave. :-(

scorpiowoman disse...

Pois é, ser único nestas coisas é complicado. Passei pelo mesmo com o meu avô, que tinha quatro irmãos (que eu saiba, três ainda são vivos...) e, quando foi preciso ponderar lar/cuidados especializados em casa, simplesmente mandaram-me a um sítio menos próprio e remataram "tu é que és a neta, tu é que tens a obrigação" (embora por lei, meus caríssimos senhores, a obrigação fosse vossa, a minha era unicamente moral... sendo óbvio que nunca abandonaria aquele que foi o meu segundo e grande Pai). Costumo pensar que é nestes grandes apertos que descobrimos duas coisas: a nossa força interior e a verdadeira natureza de quem nos rodeia. Haja paz de espírito para saber viver com a decisão tomada e clarividência para discernir que ninguém sabe tudo, apenas tenta sempre fazer o melhor que pode e sabe. A mais não é obrigado.

Elora disse...

Depois há quem tenha irmãs disponíveis para opinar. Não exatamente para partilhar decisões, mas sempre dá para ver outra perspetiva, digo eu.

Diário de um Anjo disse...

eu também sou filha única e as vezes ocorre-me se um dia terei que tomar essa decisão.